“Ó Trindade vos louvamos pela Vossa comunhão. Que esta mesa favoreça nossa comunicação”.

Por Mateus Stein

O dicionário Aurélio da língua portuguesa nos diz que comunicação é: “participar; fazer saber; transmitir; corresponder-se; propagar-se”. Neste sentido, podemos refletir sobre a comunicação através da Santíssima Trindade e sua relação com a criação. Deus se comunica de diversas formas. Comunicação é participar. O Pai que participa com o Filho e o Espírito Santo da vida e existência de sua criação. Se fazem presentes na história da humanidade. No antigo testamento, Deus Pai se comunica participando e dialogando com seu povo como, por exemplo, quando fala a Adão e Eva (Gn 3, 9 – 24), quando entrega os dez mandamentos à Moisés (Ex 20,1 – 17), aparece na Sarça Ardente (Ex 3, 1 – 22), entre vários outros episódios.

A Trindade estava unida em comunicação no Gênesis (a criação do mundo) – a Palavra Divina, o Verbo Divino, cria tudo, a fala de Deus é responsável por existirem todas as coisas. Também no batismo de Jesus (Mt 3, 13 – 17), no qual o Pai fala sobre o Filho e envia o Espírito, em forma de pomba, para, a partir daí, Jesus os anunciarem ao mundo. Jesus é a Palavra que se encarna e se consuma como suma comunicação de Deus na humanidade. O próprio Deus, ao se tornar humano, nos fala de um mesmo patamar de forma eficaz, pois, se faz como um de nós.

Deus também se vale de outros para falar. Os profetas, a exemplo de Isaías, Ezequiel, Daniel; pelos anjos, como na entrega de Isac em sacrifício a Ele (Gn 22, 11 – 18); na anunciação pelo Anjo Gabriel (Lc 1,26 – 38); no sonho de José (Mt 1, 18 – 24); por João Batista que anuncia a chegada do Messias; pelos Apóstolos e suas comunidades; e há todo outros que, ainda hoje, são instrumentos de comunicação na sociedade como foi Dom Hélder Câmara, Santo Oscar Romero, Santa Teresa de Calcutá, Irmã Dulce dos pobres, Frei Damião e como é o Papa Francisco.

Na ascensão de Jesus aos céus, Ele nos dá a missão de comunicá-lo a todos os povos e nações. O Espírito, que se manifestou no Pentecostes é quem nos auxilia nessa missão conferida a todos os batizados – não temas o que possas dizer, o Espírito dirá. A cada Santa Missa somos enviados, pelo próprio Cristo, para propagar a Boa nova. A comunhão (o amor da Trindade que gera a união com Deus e com o próximo) nos fortalece na missão.

É um desafio grande para os batizados comunicarem a Trindade. Por isso, devemos refletir: o que estamos comunicando? Que Deus comunicamos ao outro? Nossos gestos, atitudes e palavras estão falando de Deus? Que a exemplo dos Apóstolos e de Maria – a grande comunicadora dos gestos e do silêncio de palavras – nos auxiliem e nos fortaleçam em nossa comunicação!

*Mateus Stein é Bacharelando em Filosofia pelo Instituto São Tomás de Aquino e postulante na Congregação dos Missionários Verbo Divino da Província Brasil Norte no Seminário dom Hélder Câmara em Contagem / MG. – Email:matheusfss1@hotmail.com