Nesta semana do Verbo Divino, quando os cristãos comemoram a Solenidade da Anunciação do Senhor (25 de março), os missionários verbitas abrem uma nova página em sua história. No sábado, a partir das 8h, a TV Diversa, emissora educativa fruto de uma parceria entre a Associação Propagadora Esdeva, entidade mantenedora da Província Brasil Norte (BRN), e a Fundação Minas Gerais, fará a primeira transmissão ao vivo. A tevê levará ao público as imagens da missa de ordenação episcopal de monsenhor Geovane Luís da Silva, nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte-MG. A liturgia será na Basílica de São José, em Barbacena-MG. Esta é a primeira vez na história da Congregação que os verbitas participam diretamente da administração de uma geradora de tevê.

Desde o dia 15 de setembro do ano passado, o sinal aberto da emissora chega aos Municípios de Barroso, Dores de Campos, Prados e Tiradentes, localizadas na região dos Campos das Vertentes, no Centro-Sul de Minas Gerais. O projeto, no entanto, é bem mais ousado. Sediada na cidade de Barroso-MG, onde está o primeiro estúdio em funcionamento (foto), a TV Diversa recebeu concessão para transmitir para o Brasil e o exterior.

Vicente Machado, que coordena a implantação da tevê, conta que, no mês passado, a entidade fechou um acordo para retransmissão por satélite que poderá levar as imagens para toda a América Latina, Estados Unidos e sul do Canadá. “Obviamente que essa abrangência dependerá de aprovações que estão em curso nos órgãos competentes”, esclarece.

Um estúdio está em construção em Juiz de Fora-MG, e a emissora já adquiriu os transmissores para chegar aos Municípios de Barbacena, São João del-Rei, Lavras, Juiz de Fora e Santos Dumont. Vicente conta que a outorga obtida em 2004 pela Fundação Minas Gerais é definitiva, e a emissora transmite experimentalmente o conteúdo da TV Cultura de São Paulo. A ideia, no entanto, é que a TV Diversa passe logo a produzir conteúdo próprio.

Por que os verbitas

A proposta de parceria entre a Fundação Minas Gerais e a SVD surgiu porque todos os conselheiros da Fundação têm formação católica, segundo Vicente. “Resistimos à investida de vários grupos, porque sempre foi nossa intenção levar ao público uma tevê de qualidade, que defenda e propague os princípios da ética cristã de forma inteligente”, diz.

José Rubens de Albuquerque, jornalista e membro da Fundação Minas Gerais (foto), revela que os membros da Fundação entenderam que a Congregação tem um longo histórico de atividades no segmento da educação e uma presença marcante em obras sociais, culturais e religiosas. “Percebemos que todo esse empenho por parte dessa instituição vem trazendo inúmeros benefícios a um grande número de pessoas nos locais onde atua, daí a ideia de somar forças para dar maior amplitude a essa causa tão nobre.”

“A parceria com a TV Diversa foi, por assim dizer, uma oportunidade que bateu à nossa porta. O projeto começou na administração passada, quando a Província foi procurada para uma parceria com a Fundação Minas Gerais”, afirma o provincial da BRN, padre Carlos Vieira. O missionário explica que a Província participará da emissora por meio da cooperação técnica, inserção de conteúdo e a participação no Conselho de Programação.

Com relação aos recursos financeiros e humanos, Pe. Carlos conta que a BRN pretende entrar com um aporte para a compra dos equipamentos que ficarão na Faculdade de Comunicação no campus do CES (Centro de Ensino Superior), em Juiz de Fora, onde serão produzidos os programas. “A Província se responsabiliza também pela nomeação de um de seus membros, o qual terá a tarefa de organizar uma equipe formada por outros membros que servirá de apoio para os trabalhos técnicos.”

Apoio do público

Para José Rubens, a missão da TV Diversa é levar conteúdo motivador a um público carente de boas mensagens. Ele afirma que a parceria entre a Esdeva e a Fundação Minas Gerais é um encontro desses objetivos comuns às duas entidades.

Já Vicente espera que a tevê alcance crianças, adolescentes e jovens adultos, um público não atingido amplamente por outras emissoras educativas. Para ele, é importante que toda a comunidade verbita e o público prestigiem a iniciativa. “Somente com o apoio de todos poderemos implantar, nos meios decadentes e corrompidos de comunicação brasileiros, esse projeto que irá distribuir valores cristãos, educação por princípios e não simplesmente vender produtos, mercadorias ou correr atrás de audiência a qualquer custo”, declara.

Tevê e internet

A TV Diversa surge em um momento de transformação da mídia, sobretudo pela maior difusão da internet e possibilidade de o público escolher o que deseja ver. Ao ser perguntado sobre como a emissora pretende se inserir neste contexto, Vicente questiona os dados oficiais e relembra a força da televisão.

“A internet no Brasil somente atinge 40% da população e, mesmo assim, em péssima qualidade e custo alto. O índice divulgado pelo IBGE, de que 80% dos brasileiros têm acesso à internet, é falacioso, pois considera como acesso qualquer pessoa que tenha telefone celular com possibilidade de conectar-se à rede. O que sabemos que não corresponde à realidade”, argumenta. Ele recorda que a televisão está presente em 98% dos lares brasileiros: “Hoje o Brasil tem 234 milhões de aparelhos de tevê”, sintetiza.

Por outro lado, Vicente esclarece que a emissora não ficará de fora das novas tendências. “Claro que não estaremos alheios às novas tecnologias, e a TV Diversa estará em todas as plataformas de multimídia”, declara.

“Hoje vivemos a era da segmentação, portanto é importante lembrar que toda diversidade é bem-vinda, como é o caso da tevê por streaming, mas nossa plataforma de trabalho, além de usufruir dessa alta tecnologia, tem por finalidade falar mais diretamente com aqueles que se interessam por conteúdos transformadores”, diz José Rubens.

Os verbitas e a comunicação

O padre provincial deseja que a participação verbita na TV Diversa retome a célebre história dos missionários no campo da comunicação. E não é por menos. Desde os primórdios, no século XIX, a SVD apostou na mídia como forma de anunciar o Evangelho. Santo Arnaldo Janssen, mesmo antes de fundar a Congregação, conta o Pe. Carlos, publicava um boletim chamado “Mensageiro do Sagrado Coração”. Já no início da casa missionária de Steyl (Holanda), o fundador da Família Arnaldina abriu também uma gráfica que produzia a revista “Stadt Gots”.

No Brasil, os verbitas mantiveram-se no caminho de dedicação à imprensa. De 1912 a 1917, os missionários publicavam o periódico “A Bússola”. Mais tarde, mudou de nome, passando a chamar “Sacrário do Amor”. A produção mais gloriosa, no entanto, foi o histórico jornal “Lar Católico” (foto), fundado em 1919 e que teve grande repercussão durante décadas.

O informativo era produzido em Juiz de Fora-MG e, mesmo com todas as dificuldades do tempo, conseguia chegar a comunidades de todo o País graças ao empenho dos verbitas. Irmãos e padres cuidavam de praticamente todo o processo até o jornal chegar ao leitor. Na década de 1960, o “Lar Católico” chegou à tiragem de 65 mil cópias por edição, um feito jamais alcançado por um veículo do gênero.

Os missionários verbitas também tiveram importantes empreendimentos gráficos em Porto Alegre-RS e em São Paulo-SP. Atualmente, no campo audiovisual, a Verbo Filmes, localizada na capital paulista, é conhecida pelos documentários e produção de músicas. A entidade já recebeu muitos prêmios pela qualidade das obras.

Escola de comunicação

Padre Carlos afirma que a TV Diversa será um importante veículo a serviço da evangelização conforme o carisma verbita. O provincial reforça, porém, que a concessão da emissora é para um canal educativo, por isso a tevê será um espaço para tornar visível os trabalhos realizados pela SVD na área de educação e para a prática dos alunos do CES/JF.

Primeira transmissão ao vivo

Os verbitas e a equipe da TV Diversa estão ansiosos por levar ao público as primeiras imagens ao vivo produzidas pela emissora. A ordenação episcopal de monsenhor Geovane Luís da Silva, um evento histórico para Barbacena e região, terá uma transmissão de cerca de três horas. A previsão é que a geração comece por volta das 8h deste sábado. A transmissão poderá ser assistida ao vivo pelo link da  TV DIVERSA.

Uma grande estrutura foi montada para a cobertura da missa que ocorrerá na Basílica de São José, revela José Rubens. Ele e Geraldo Faria farão as reportagens, e os comentários serão do verbita padre Anselmo Ribeiro. No início desta semana, uma equipe da emissora gravou com monsenhor Geovane (foto) e fez alguns testes na basílica.

Produção e edição para SVD-Esdeva: Alessandro Faleiro Marques, com informações de Pe. Anselmo Ribeiro, SVD – Fotos: Pe. Anselmo Ribeiro e perfil de José Rubens Albuquerque (Facebook). Arte: Alessandro Faleiro Marques.