NATAL: ASPECTOS LITÚRGICOS E PASTORAIS: A Igreja considera nada mais venerável, após a celebração anual do mistério da Páscoa, do que comemorar o Natal do Senhor (Normas Universais sobre o Ano Litúrgico e o Calendário, n. 32). Origem As origens de uma verdadeira celebração do Natal parecem remontar a tempos muito primitivos, e tiveram como lugar de início a mesma gruta onde Jesus nasceu em Belém. Em meados do século IV surge, em Roma, o Cronógrafo Romano, uma espécie de Calendário com notícias sobre os mártires e os papas romanos. Esse Calendário informa: “Dia 25 de dezembro: Nascimento do Sol Invencível. Cristo nasceu em Belém da Judéia”. Por que 25 de dezembro? Havia-se difundido, no mundo greco-romano, a festa pagã do Natal do Sol Invencí­vel. Este era o nome do deus a quem o imperador Aureliano deu importância oficial, com a construção de um templo em Roma. Ora, a festa principal a esse deus era celebrada no solstício de inverno, dia 25 de dezembro. A partir dessa data, começa a encurtar a noite e aumentar o dia (diminuem as trevas e cresce a luz). Em vista de afastar o povo desse culto idolátrico, os cristãos tiveram a ousadia de tornar cristã essa festa civil romana, introduzindo, em seu lugar, o culto ao verdadeiro Sol Invencível, Sol de justiça (Ml 3,20), Luz que nasce do alto, Jesus Cristo.

O NATAL HOJE: O tempo do Advento, com sua liturgia e espiri­tualidade próprias, a novena de Natal rezada pelo povo, a celebração penitencial, tudo isso prepara os fiéis e os deixa motivados para a solene celebração do Natal do Senhor. No dia do Natal, segundo a antiga tradição romana, pode-se celebrar a missa três vezes, a saber: à noite, na madrugada e durante o dia. O centro da celebração do Natal é a eucaristia. Pela celebração eucarística, o Natal torna-se mistério presente. Em outras palavras, na eucaristia está presente o Verbo Encarnado, Jesus Cristo, que morreu, ressuscitou e é glorificado. O tempo do Natal começa na véspera do Natal do Senhor e vai até o domingo posterior a 6 de janeiro. A semana que segue ao Natal denomina-se oitava e está organizada do seguinte modo: a) No domingo dentro da oitava, celebra-se a festa da Sagrada Família de Jesus, Maria e José. Se nesse período não houver domingo, a festa é celebrada em 30 de dezembro. b) Em 26 de dezembro celebra-se a festa de Santo Estevão, o primeiro mártir cristão. c) Em 27 de dezembro, celebra-se a festa de São João, apóstolo e evangelista. d) Em 28 de dezembro, celebra-se a festa dos Santos Inocentes. e) Em 10 de janeiro, com a imposição do Santíssimo Nome de Jesus, celebra-se a solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus. Além disso, é o Dia da Paz, instituído pelo papa Paulo VI. No Brasil, a Epifania do Senhor é celebrada no domingo entre 2 e 8 de janeiro.

Aspectos litúrgicos e sugestões pastorais

Missa da noite:

  • Alternar momentos de alegria com momentos de sobriedade e contemplação.

  • Na procissão de entrada, pode-se levar a imagem do Menino Jesus e depositá-la no presépio.

  • Cantar solenemente o Glória.

  • Na apresentação das oferendas, pode-se levar em procissão donativos para o Natal de famílias carentes.