Quando pensamos no ser humano seja no sentido, de bem estar, em todos os aspectos, esquecemos que no kit do que o outro trás também, imperfeições e “cositas mas” (esquecemos meio que inconscientemente, pois, de alguma forma sabemos, “não somos perfeitos”, mas parece que, esta máxima, só vale para nós mesmos).
Peço que desde já, depois de ouvir esta mensagem do Augusto Cury, personalize-a. Faça uma dinâmica: feche os seus olhos e atentamente seu pensamento nos dizeres dele, sobre as mazelas de cada apóstolo (humanos aparentemente terríveis ou cheios de transtornos psíquicos) que ao conhecerem Aquele Homem – Jesus, foram transformados.
Primeiro, por que, humildemente reconheceram-se humanos e aceitaram-se, assumindo humildemente sua miserável condição humana, assim, reconheceram seus erro. Isto é o primeiro momento da proposta da dinâmica, onde, você é o foco, e não o outro. Se quiser, anote o que considera suas mazelas e leve as a um profissional para que ele auxilie você. OU coloque fogo no papel e deixe queimá-lo, enquanto assiste ( porém, cuidado para não queimar-se ou colocar fogo no ambiente, verdadeira e metaforicamente). Continue de olhos fechados e mentalize suas atitudes em momentos específicos de sua vida, principalmente os mais complexos com os irmãos que, você precisa conviver diariamente, ou não (mas em casa já é um bom começo). E em um terceiro momento, principalmente pense em você, coloque-se como Jesus, sem pretensões, JAMAIS busque santidade, busque pelo menos enxergar o pó das sandálias que ele deixa para trás ao caminhar.
Perdoe-se por ser humano e imperfeito, aceite que comete erros, com você e com os outros (ainda mais,) então, permita-se ser: humilde, corajoso, pois perdoar e amar os que te apedrejam é um gesto de “cabra macho” ou “mulher maravilha” para o ser humano, temos uma cultura, que infelizmente, valoriza e cultua a lei de talião.
Convido-o a sair por alguns momentos da sua vida do antigo testamento, aprofundar-se nas mensagens, que através de parábolas, metáforas ou comportamentos, Jesus nos deixou, com o seguinte foco: “NADA AQUI NESTA TERRA, ME PERTENCE, UM DIA VOLTAREMOS PARA CASA E TODO O RESTO FICARÁ!
E finalizando a dinâmica, agradeça a Deus todas as voltas, recomeços, adversidades. Sabemos que nada acontece em vão, tudo é para nosso desenvolvimento, e tem o propósito transformador, para nós. Não espere do outro, faça por quem estará com você até que a morte os separe, sem dúvida nenhuma – você mesmo. E concluindo, abrace aqueles que te incomodam, focado, como disse Cury naquilo que Jesus fazia como ninguém, o AMOR, incondicional e verdadeiro.
Desnude-se desta humanidade, que por ser hipócrita só receberá de volta, e acredito na lei do retorno, hipocrisia e falsidade, com um seríssimo risco de acreditarmos piamente que a culpa é do outro. Então, para 2018, exercite sua humanidade transformadora, busque ser como uma divina luz, que tem um brilho extraordinário, e digo como ser humano, seria muita pretensão?. Não creio.
Não faço propaganda para Augusto Cury vender livros, mas compactuo com a mensagem que ele passa neste vídeo e creio que através desta reflexão e dinâmica poderemos, cada um, jogar sua gota d’água, para tentarmos apagar o fogo da floresta (sim, como fez o beija flor, com seu pequeno biquinho), faça você também e comecemos uma corrente, para disseminar um pensamento que foi uma lição para Augusto Cury, e se permitires, será para você. Jesus homem que ainda assim foi e sempre será exemplo e referência do amor ao próximo, mesmo que este próximo lhe cause dore e danos, e tenha certeza, ele o fará.
Jesus, sem escolher religiões específicas, mas seres humanos, necessitados de sua mão curadora, que pensava sim no próximo, com todo amor filia e uma humildade inexplicável, enxergava sempre além de erros, o faziam seres transformados e transformadores, pois não focava em competição, orgulho, perversidade, “caras feias”, ódios, religiões e tantas outras mediocridades que por ignorância(no sentido de ignorar) ou falta de autoconhecimento fazem com que, cultivemos estes sentimentos horrendos. No entanto, onde no outro posso e DEVO fazer dele e com ele do mundo um lugar melhor e de paz?
 
É o meu desejo para 2018, parece utópico, talvez, mas Jesus fazia das utopias realizações, por isto mudou a história da humanidade.
Lara Reis – CRP /0414592
Psicóloga e psicopedagoga clínica e institucional
P.S: PEÇO QUE COMPARTILHEM COM SEUS AMIGOS E PRINCIPALMENTE INIMIGOS…SE PREFERIREM RETIRAR A AUTORIA, NÃO HÁ PROBLEMAS. A VAIDADE NÃO É MINHA VOCAÇÃO.
Quando pensamos no ser humano seja no sentido, de bem estar, em todos os aspectos, esquecemos que no kit do que o outro trás também, imperfeições e “cositas mas” (esquecemos meio que inconscientemente, pois, de alguma forma sabemos, “não somos perfeitos”, mas parece que, esta máxima, só vale para nós mesmos).