Leitura (2 Macabeus 7,1-2.9-14)

Leitura do livro dos Macabeus.
1Havia também sete irmãos que foram um dia presos com sua mãe, e que o rei por meio de golpes de azorrage e de nervos de boi, quis coagir a comerem a proibida carne de porco.
2Um dentre eles tomou a palavra e falou assim em nome de todos. Que nos pretendes perguntar e saber de nós? Estamos prontos a morrer antes de violar as leis de nossos pais.
9Prestes a dar o último suspiro, disse ele: Maldito, tu nos arrebatas a vida presente, mas o Rei do universo nos ressuscitará para a vida eterna, se morrermos por fidelidade às suas leis.
10Após este, torturaram o terceiro. Reclamada a língua, ele a apresentou logo, e estendeu as mãos corajosamente.
11Pronunciou em seguida estas nobres palavras: Do céu recebi estes membros, mas eu os desprezo por amor às suas leis, e dele espero recebê-los um dia de novo.
12O próprio rei e os que o rodeavam ficaram admirados com o heroísmo desse jovem, que reputava por nada os sofrimentos.
13Morto este, aplicaram os mesmos suplícios ao quarto,
14e este disse, quando estava a ponto de expirar: É uma sorte desejável perecer pela mão humana com a esperança de que Deus nos ressuscite; mas, para ti, certamente não haverá ressurreição para a vida.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 16/17

Ao despertar, me saciará vossa presença
e verei a vossa face!


Ó Senhor, ouvi a minha justa causa,
Escutai-me e atendei o meu clamor!
Inclinai o vosso ouvido à minha prece,
Pois não existe falsidade nos meus lábios!

Os meus passos eu firmei na vossa estrada,
e por isso os meus pés não vacilaram.
Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis,
inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

Protegei-me qual dos olhos a pupila
e guardai-me à proteção de vossas asas.
Mas eu verei, justificado, a vossa face
e, ao despertar, me saciará vossa presença.

Leitura (2 Tessalonicenses 2,16-3,5)

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Tessalonicenses.
16Nosso Senhor Jesus Cristo e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu consolação eterna e boa esperança pela sua graça,
17consolem os vossos corações e os confirmem para toda boa obra e palavra!
1Por fim, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja estimada, tal como acontece entre vós,
2e para que sejamos livres dos homens perversos e maus; porque nem todos possuem a fé.
3Mas o Senhor é fiel, e ele há de vos dar forças e vos preservar do mal.
4Quanto a vós, temos plena certeza no Senhor de que estareis cumprindo e continuareis a cumprir o que vos prescrevemos.
5Que o Senhor dirija os vossos corações para o amor de Deus e a paciência de Cristo.
Palavra do Senhor.

Evangelho (Lucas 20,27-38 ou 27.34-38)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo é o primogênito dos mortos; a ele a glória e o domínio para sempre! (Ap 1,5s).


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Naquele tempo, 20 27alguns saduceus – que negam a ressurreição – aproximaram-se de Jesus e perguntaram-lhe:
28“Mestre, Moisés prescreveu-nos: Se alguém morrer e deixar mulher, mas não deixar filhos, case-se com ela o irmão dele, e dê descendência a seu irmão.
29Ora, havia sete irmãos, o primeiro dos quais tomou uma mulher, mas morreu sem filhos.
30Casou-se com ela o segundo, mas também ele morreu sem filhos.
31Casou-se depois com ela o terceiro. E assim sucessivamente todos os sete, que morreram sem deixar filhos.
32Por fim, morreu também a mulher.
33Na ressurreição, de qual deles será a mulher? Porque os sete a tiveram por mulher”.
34Jesus respondeu: “Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento,
35mas os que serão julgados dignos do século futuro e da ressurreição dos mortos não terão mulher nem marido.
36Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, porque são ressuscitados.
37Por outra parte, que os mortos hão de ressuscitar é o que Moisés revelou na passagem da sarça ardente, chamando ao Senhor: Deus de Abraão, Deus de Isaac, Deus de Jacó .
38Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos; porque todos vivem para ele”.
Palavra da Salvação.