Muto se ouve nos dias atuais, as pessoas dizerem que foram batizadas. O Sacramento do Batismo não é de maneira alguma, um sacramento passageiro.

batismo-catolico

Pelo Batismo, somos inseridos na Igreja de Cristo, na qual nos tornamos Sacerdotes, Profetas e Reis, sendo que este último pode ser interpretado como Pastores.
“Em verdade, em verdade eu te digo, quem não nascer da água e do Espírito não poderá ver o Reino de Deus.” (Jo 3, 3). Nestas palavras, Jesus nos diz que é preciso ter uma vida nova, e essa vida nos é proporcionada pelo Sacramento do Batismo, que não é um meio de espantar “mau olhado”, “espinhela caída” e tantas outras crendices. Mas é um meio de participar plenamente do Corpo de Cristo, que é a Igreja. Através do Batismo, deixamos o “homem velho” e aderimos ao novo jeito de “ser homem”.

O mergulhar na água Batismal, que significa morte, morremos para o pecado, e ao sairmos dessa água, renascemos e ressuscitamos com o Cristo nossa Páscoa. O Povo conduzido por Moisés, entra no Mar Vermelho sendo povo Hebreu e sai das águas tornando-se povo de Israel. Um canto, nacionalmente conhecido composto pela Liturgista Ione Buyst, nos remete a uma experiência disso que partilhamos: “Banhados em Cristo, somos uma nova criatura, as coisas antigas, já se passaram, somos nascidos de novo, aleluia, aleluia, aleluia…”.

Um fato muito curioso e muitas vezes não percebido por muitos, são nas Pias Batismais das igrejas antigas, ao fundo delas o desenho de uma cruz, que representa que quando a criança ou o Catecúmeno é inserida na água ela morre e ao sair, ganha nova vida.

Jesus, quando se deixa ser batizado por João Batista, anuncia ao entrar nas águas do Rio Jordão, que ia morrer. E sabemos que o fim não foi a morte, mas a vitória da Vida sobre a morte.
Como é lindo em nossa Igreja, o caminho feito pelos Catecúmenos (adultos candidatos ao Batismo), durante o período quaresmal, e no dia da Mãe de todas as Vigílias, que é a Vigília Pascal, eles são Batizados, tornando o seu lugar no meio de todo o povo de Deus que é a Igreja.

A Igreja precisa de pessoas que assumam com afinco, a grande missão que recebemos pelo Batismo, pois devemos todos em sintonia, trabalhar para a construção do Reino de Deus, que também é nosso.
Por isso amados irmãos e irmãs, quando nos perguntarem se fomos Batizados, assumamos o que de direito é nosso, e respondamos para os quatro cantos do Mundo, que não somente fomos batizados, mas que somos batizados e fazemos parte do Corpo de Cristo. “… Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” (At 2, 38).

Felipe Magalhães Francisco é teólogo. É autor do livro de poemas Imprevisto (Penalux, 2015). E-mail: felipe.mfrancisco.teologia@gmail.com.