A família é responsável por promover a educação dos filhos e influenciar no comportamento dos mesmos para o convívio social. O papel da família no desenvolvimento de cada indivíduo é de fundamental importância, pois pela relação familiar que são transmitidos os valores morais, as normas e as condutas sociais que servirão de base para o processo de socialização da criança, como também as tradições e os costumes perpetuados através de gerações.

As crianças desde muito cedo aprendem a reproduzir algumas atitudes dos pais que, para elas, servem como exemplo. E por amá-los acabam repetindo-os, até mesmo os mais desordenados que, muitas vezes, passa despercebido pelos pais. Por isso, torna-se necessário que os pais compartilhem um estilo de vida saudável em todos os sentidos para que seus filhos busquem espelhar-se nos valores positivos.

Contudo, essa formação no berço familiar vem se tornando cada vez mais complicada para o desenvolvimento das crianças, pois a falta de oportunidades e as desigualdades existentes entre as classes sociais vêm fazendo com que os pais se tornem mais distantes e ausentes na educação de seus filhos. A busca pelo dinheiro e pelo bem-estar social faz com que a família quase sempre fique em segundo plano, a ponto de trazer para dentro de casa o estresse e as complicações externas pertencentes ao trabalho, por exemplo.

É notável que hoje a maioria das escolas reclame a ausência da família no acompanhamento do desempenho escolar da criança, da falta de controle dos pais para impor limites aos filhos, da dificuldade que muitos deles encontram em transmitir valores éticos e morais importantes para a convivência em sociedade.

O ambiente familiar deve ser um LAR, ou seja, um local onde deve existir harmonia, afetos, proteção e todo tipo de apoio necessário na resolução de conflitos ou problemas de algum dos membros. As relações de confiança, segurança, conforto e bem estar proporcionam a unidade familiar.

Caso o ambiente não seja considerado um lar, há uma maior proporção de índices de violência, baixa autoestima, depressão, isolamento e dentre vários outros fatores que resultarão de forma negativa na família e na sociedade. Lugares estes que eram para ser harmônicos tornam-se lugares de intimidação e insegurança.

É perceptível que os filhos reflitam de forma direta na sociedade aquilo que vivenciam dentro de casa. Se no lar não há relações de afeto, o sujeito não conseguirá se relacionar de forma afetiva com outras pessoas. Na vida pode-se dar somente o que tem, o que não tem deve-se conquistar.

Portanto, cabe à família amar e acolher os seus filhos, aceitando-os do jeito que são, com os seus defeitos e qualidades, pois ela é responsável pelo desenvolvimento e pela educação do indivíduo. São Francisco já dizia: “pois é dando que se recebe”. Então compete a família com todos os seus defeitos passar os valores morais e éticos, ensinando-os a amarem o próximo, a respeitarem a todos sem preconceitos e a serem solidários, pois só assim é que se consegue uma sociedade mais justa e digna, com menos corrupção e hipocrisia, onde terá espaço para todos.

Robert Henrique Sousa Dantas

09/03/2019