O Papa Francisco presidirá, neste domingo (11/4), pela segunda vez, em forma privada, a uma celebração Eucarística, por ocasião do dia dedicado à Divina Misericórdia, culto promovido por Santa Faustina Kowalska, na igreja de Santo Espírito em Sassia, ao lado do Vaticano. O Papa escreve no tuíte deste sábado que em nossas misérias o Senhor “vê filhos a serem amados com misericórdia”. Em declarações ao Vatican News, o reitor do Santuário da Divina Misericórdia, pe. Jozef Bart, disse: a Misericórdia de Deus “é uma vacina contra o vírus do egoísmo”.

 

Debora Donnini/Manoel Tavares

“Sinto que a minha missão não terminará com a minha morte, mas começará”. Estas palavras, escritas no Diário da Irmã Faustina Kowalska, são realmente proféticas, à luz dos acontecimentos que se seguiram após a volta para o Pai desta humilde freira. A ela Jesus se manifestou, com visões, revelações, estigmas ocultos, obtendo a união mística com Deus e o dom do discernimento de corações e profecias. A religiosa teve também experiências místicas dolorosas durante a “noite escura da sua alma”.

Faustina nasceu, em 1905, no seio de uma família de camponeses, no vilarejo de Głogowiec, Polônia, e faleceu, em 1938, no convento de Cracóvia-Łagiewniki, aos 33 anos, idade de Cristo. Durante a sua vida trabalhou como cozinheira, jardineira e porteira, em várias Casas da Congregação das Irmãs da Bem-Aventurada Virgem Maria da Misericórdia, à qual pertencia. Mas, eram poucos os que sabiam da sua vida mística, exceto seus confessores e, em parte, nas escolas secundárias. Hoje, a Mensagem da Misericórdia, que Jesus lhe confiou, espalhou-se pelo mundo inteiro.

Uma festa desejada pelo próprio Jesus

Devido a esta Mensagem importante, São João Paulo II instituiu, no dia 30 de abril de 2000, há 21 anos, – dia da canonização da Irmã Faustina, – o Domingo da Divina Misericórdia, que se celebra no segundo domingo da Páscoa, “Domingo in albis”.

O próprio Jesus manifestou-lhe o desejo de instituir uma festa em honra da sua Misericórdia: “Quero que a imagem, que você vai pintar com o pincel, seja solenemente abençoada no primeiro domingo da Páscoa. Este domingo deverá ser a festa da Misericórdia”, disse-lhe Jesus, segundo o Diário da Irmã Faustina.

Missa e tuíte do Papa

Neste domingo especial, o Papa Francisco volta, como no ano passado, a  celebrar uma missa de forma privada, às 10h30 de amanhã, seguindo as normas contra a Covid, na Igreja de Santo Espírito, em Sassia, nas proximidades do Vaticano. Ao término da celebração Eucarística, o Papa rezará a oração mariana do “Regina Coeli”, diretamente do Santuário da Divina Misericórdia. No tuíte divulgado neste sábado, o Pontífice escreve que: “O Senhor não quer que pensemos continuamente em nossas quedas, mas que olhemos para Ele, que em nossas quedas vê filhos a serem reerguidos, em nossas misérias vê filhos a serem amados com misericórdia. #DivinaMisericórdia“.

O Papa Francisco será acolhido “com trepidação e alegria”, disse à Vatican News o reitor do Santuário, Padre Jozef Bart, pois, neste ano, celebra-se o 90º aniversário da revelação da imagem de Jesus Misericordioso à Irmã Faustina. O próprio Papa recordou este acontecimento durante o Angelus, em 21 de fevereiro p.p., e, no dia seguinte, enviou também uma mensagem ao Bispo de Plock. Ano passado, foram comemorados os 20 anos da canonização de Santa Faustina e a instituição da Festa da Divina Misericórdia.

No dia 22 de fevereiro de 1931, o Senhor manifestou-se à Irmã polonesa, Faustina, que assim escreveu no seu Diário: “Jesus me disse para pintar uma imagem, segundo o modelo que eu via, com as palavras abaixo “Jesus, eu confio em Vós”. Disse-me ainda que esta imagem deveria ser venerada não só em sua capela privada, mas no mundo inteiro”.

A primeira imagem de Jesus Misericordioso foi pintada em Vilnius, sob a orientação da Irmã Faustina. Porém, a imagem mais conhecida é a que se encontra no Santuário da Divina Misericórdia, em Cracóvia-Łagiewniki, pintada, segundo as instruções do diretor espiritual da “Apóstola da Divina Misericórdia”, Padre Józef Andrasz.

O reitor do Santuário romano da Divina Misericórdia, Padre Jozef Bart afirma: “Faustina não transmite uma imagem nova, porque a mensagem da Misericórdia nada mais é do que o Evangelho de Jesus Cristo Ressuscitado. Ela apenas retransmite esta nova luz a toda a Igreja, cristãos e não cristãos”.

Recordando a profunda experiência que a religiosa polonesa vivia com o Senhor, na dimensão da sua Misericórdia, Padre Bart recorda os pedidos que Jesus lhe fazia: “A Misericórdia deve ser celebrada e praticada na Igreja e a festa da Misericórdia celebrada no domingo da Páscoa”. É precisamente neste dia em que se manifesta “a abundância dos frutos que brotam da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, cujo fruto é a Misericórdia: dia em que as graças descem sobre toda a humanidade”.

A Divina Misericórdia está renovando o mundo, afirma o Padre Jozef Bart, recordando as palavras do Papa Francisco no Santuário da Divina Misericórdia, ano passado. São João Paulo II, comentando o ícone de Jesus misericordioso, afirmou: “Desta imagem nos transmite e propõe um novo estilo de vida e partilha”.

Vacina misericordiosa contra o vírus do egoísmo

O Reitor do Santuário romano, Padre Jozef Bart observa ainda que “este culto crescente da Misericórdia de Deus, em suas várias dimensões, ajuda realmente as pessoas contagiadas pela pandemia, mas é também como uma vacina contra o vírus do egoísmo, que pode destruir a civilização do amor”.

Destacando, enfim, a concretude da Misericórdia, Padre Bart se detém sobre a devoção e o vínculo de São João Paulo II, Bento XVI e Papa Francisco com a Misericórdia divina. O Papa Wojtyla fez do seu Pontificado a imagem da Divina Misericórdia; Bento XVI afirmou que as palavras “Jesus, eu confio em vós” são um resumo da nossa fé cristã, a fé na onipotência do amor misericordioso de Deus; enquanto o Papa Francisco, artífice do Ano Santo da Misericórdia, abriu as portas deste dom a toda a humanidade, segundo as palavras de João Paulo II, em 17 de agosto de 2002, ao desejar que “a Misericórdia de Deus chegasse a todos os habitantes do planeta”.

 

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2021-04/divina-misericordia-papa-francisco-santuario-bart-kowalska.html