A comunidade de Brumadinho recebeu um presente muito especial do Papa Francisco: uma réplica de sua cruz peitoral, entregue pelo monsenhor Bruno Marie Duffè , enviado do Papa, como sinal de sua solidariedade e preocupação com as vítimas do rompimento da barragem no Córrego do Feijão. Essa cruz passará pelas casas das famílias das comunidades de Brumadinho e depois ficará exposta no memorial Minas de Esperança, que será o campanário do Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora do Rosário.

O monsenhor Duffé, Secretário do Vaticano para Desenvolvimento Integral do Vaticano, reafirmou, na visita a Brumadinho, o compromisso do Papa com apoio às comunidades que defendem seus territórios da mineração. Criticou com veemência o liberalismo, “que tem o dinheiro como prioridade, sem se preocupar com as pessoas e a natureza”.

Em visita à comunidade de Córrego do Feijão, o representante do Papa Francisco ouviu testemunhos das pessoas que perderam familiares e seus meios de sobrevivência, em consequência do rompimento da barragem.

Relembrando as palavras do Papa Francisco, monsenhor Duffé ressaltou a importância de se começar pensando na proteção da vida, para que seja possível pensar no futuro. “ De outro modo, não é possível desenvolver um novo paradigma, um novo modelo. E não é possível que a lei seja a lei do dinheiro e só do dinheiro”.

Da Arquidiocese de BH