O mês de Outubro é conhecido mundialmente como “Outubro Rosa” e tem por objetivo reforçar trabalho de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O símbolo desta campanha é um laço rosa, cor que simboliza a mulher. É por este motivo que durante o mês de Outubro nos deparamos com fachadas de empresas e locais públicos iluminados ou pintados dessa cor.

Em 2018, a campanha do INCA no Outubro Rosa tem como tema “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”. O objetivo é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desmistificar conceitos em relação à doença

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, correspondendo a 28% dos casos novos a cada ano.

A campanha do Outubro Rosa foi desenvolvida pelo Ministério da Saúde no início dos anos 90 com o intuito de compartilhar informações sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama. Recentemente, o câncer de colo de útero também foi incluído nessa campanha devido ao aumento significativo do número de casos no decorrer dos anos.

DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA

diagnóstico precoce é fundamental no tratamento contra qualquer tipo de câncer. No câncer de mama, especificamente, a realização anual da mamografia para mulheres a partir dos 40 anos é importante para que o câncer seja diagnosticado precocemente.

PREVENÇÃO E AUTOEXAME

O autoexame é muito importante para que a mulher conheça bem o seu corpo e perceba com facilidade qualquer alteração nas mamas. Porém, o autoexame não substitui exames como mamografia, ultrassom, ressonância magnética e biópsia, os quais podem definir o tipo de câncer e a sua localização.

Por isso, além do autoexame, é necessário manter uma rotina de consultas periódicas com o ginecologista para ajudar na prevenção contra o câncer não só de mama, mas também o de colo de útero.

A prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, como por exemplo: alimentação, controle do peso e atividades físicas. Além disso, recomenda-se evitar o consumo de álcool e tabaco.

AMAMENTAÇÃO

A amamentação beneficia não só a saúde do bebê, mas também a da mãe, principalmente na prevenção contra o câncer de mama. Segundo estudo realizado em 2002 com mulheres de 30 nacionalidades diferentes, o risco de contrair câncer de mama diminuiu 4,3% a cada 12 meses de duração de amamentação.

OS PRINCIPAIS SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA

É importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.
Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;

Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;

Alterações no bico do peito (mamilo);

Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;

Saída espontânea de líquido dos mamilos

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica ao identificarem alterações persistentes nas mamas. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Campanha Outubro Rosa 2018

  • enfatiza a importância de a mulher conhecer suas mamas e ficar atenta às alterações suspeitas;
  • informa que para mulheres de 50 a 69 anos é recomendada a realização de uma mamografia de rastreamento a cada dois anos;
  • mostra a diferença entre mamografia de rastreamento e diagnóstica;
  • esclarece os benefícios e malefícios da mamografia de rastreamento;
  • informa que o Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias.