Enxergar os acontecimentos, não com os olhos da razão, mas com os olhos do coração

catequese2(5)
Temos que tomar cuidado quando iniciamos a leitura bíblica, ou uma leitura de um texto bíblico. Sempre quando vamos ler, estudar ou explicar a Bíblia a alguém, se faz necessário levar em consideração as exigências da realidade que hoje vivemos; as exigências da revelação expressas na própria Bíblia e na fé da Igreja. São Palavras de Deus que contêm as exigências que não dependem de nós e que devem ser respeitadas, para que a Bíblia possa ser realmente Bíblia para nós. Assim, a revelação divina manda escutar a Voz do Povo, para que possamos descobrir o que Deus nos tem a dizer.

A Bíblia é um livro da caminhada do povo de Deus. Ela se encontra no nível de sua aplicação na prática da vida. Ela é semente que deve ser espalhada no meio do chão da nossa realidade. Sua flor, ou seja, seu sentido aparece quando a Palavra plantada no chão tiver condições de germinar e produzir seu fruto. Então, a Bíblia é fruto da caminhada de um povo. Um povo que quis deixar registradas suas experiências de vida.

Partindo de suas reflexões, o povo mostra a história de Israel, entendida pelo próprio Israel, como a história do agir de Deus com seu povo. No Antigo Testamento, a Palavra de Deus chegou a Abraão, a Moisés aos profetas. Palavras de Ânimo e de esperança. Palavras de Vida. Palavras de Aliança e de Amizade. Palavra que prepara o maior acontecimento de todos os tempos: Jesus Cristo. Começando com a oralidade e depois passando para os escritos, ela teve seu crescimento paulatinamente. Foi chamado, certa vez de “o livro que cresceu durante mil anos”. Seus escritos eram para lembrar ao povo de seu tempo e a nós, hoje, qual o projeto de Deus para a humanidade. Esse Deus que desejou se dar a conhecer a nós e se deu fazendo-se um de nós, nascendo do útero de uma mulher, crescendo no meio do povo e, junto com o povo, ajudando-os a conhecer o Pai.

À medida que vamos conhecendo esse livro, a Bíblia, sua palavra vai crescendo no meio de nós, no silêncio, de forma gratuita e assim, aquele que coloca a Bíblia no cotidiano de sua vida colhe o fruto e se torna depositário da revelação divina, fruto este que deve continuar sendo espalhado, plantado, partilhado.

Bíblia – Palavra de Deus na vida do homem

Deus nos impele para a realização, para a aceitação, para a doação. E nós, seres humanos, somos chamados a responder, por ações e atitudes a este apelo de Deus
A Bíblia também é conhecida como “Sagradas Escrituras” ou tão somente “Escrituras” fala do agir de Deus em nossa vida. Utiliza-se de várias formas: orações, rituais, história, sabedoria, exortações e até mesmo poesia… tudo em grande harmonia – já que inspirada por Deus – relaciona o homem com o único e verdadeiro Deus, e vice-versa. Nessa relação onde Deus se comunica com o povo, e este o descobre nos acontecimentos da vida, faz chegar até nós esse livro que nos fala da aliança e o plano de salvação de Deus para com a humanidade.

Muitas pessoas contribuíram para que essa palavra chegasse até nós: homens, mulheres, jovens, idosos, pais, mães, agricultores, pescadores, sacerdotes, reis, profetas. A preocupação dos que escreveram não foi contar uma história, mas recuperar a memória, a identidade. Seus escritos trazem uma grande riqueza de experiências que contribuem para manter viva a fé no Deus que propõe justiça, fraternidade, amor e fidelidade.

Ao ler a Bíblia, não se deve preocupar com a busca de uma história verdadeira, mas a verdade da história, da minha história, de todas as histórias. A história é o veículo, o lugar do conhecimento de Deus. Este Deus que, no seu dinamismo, impulsiona os homens e o mundo ao seu destino verdadeiro. Este Deus que nos impele para a realização, para a aceitação, para a doação. E nós, seres humanos, somos chamados a responder, por ações e atitudes a este apelo de Deus.

No Antigo Testamento, o centro da religião é a obediência cujo fundamento se encontra na aliança de Javé com Israel. Exemplos dessa obediência podem ver em Abraão. ”Javé disse: Deixa teu país, tua parentela e a casa de teu Pai…” Abrão toma sua mulher Sarai e partem para a terra de Canaan (Gn 12,1-5), na certeza de que seu Deus caminha junto com ele.

No Novo Testamento, o centro da Religião é o seguimento a Jesus Cristo. Toda a história de Deus com Israel tem importância para nós cristãos uma vez que Deus se revela nela. Na revelação do projeto de Deus, a Ressurreição foi o selo que Deus colocou sobre a vida e a morte de Jesus, dizendo que o modo como ele viveu seja a proposta de Deus para todas as pessoas.

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora da Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética de BH